"[...]mas faz-nos esboçar uma realidade supra-sensível compatível com o uso experimental da nossa razão. Sem uma tal precaução, não saberíamos fazer o mínimo uso de semelhante conceito e deliraríamos ao invés de pensarmos.[...]"

22
Jul 08


 

Fui levar com a maresia na cara e ouvir este senhor a Espinho.

 

Adenda (24.07.08). Muito mais arrojado jazzisticamente e menos melódico do que eu esperava, continuam a tocar de olhos fechados. Todo um concerto assente num saber depurado dos elementos em jogo, e na sua incessante (re)construção e desconstrução (que nunca é um factor lúdico), até ao limite onde o sentido do todo (da composição) se identifica com os elementos desconexos, caóticos - o caos como génese de toda a composição - sem, no entanto, se confundir com a soma dessas partes. Como um tratado sobre um método do qual não se sabe a aplicação. 

escrito por José Carlos Cardoso às 16:52
sinais: ,

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
17
18
19

20
21
23
24
26

27
30
31


eu, imagem
seguir os sinais
 
blogs SAPO