"[...]mas faz-nos esboçar uma realidade supra-sensível compatível com o uso experimental da nossa razão. Sem uma tal precaução, não saberíamos fazer o mínimo uso de semelhante conceito e deliraríamos ao invés de pensarmos.[...]"

02
Jul 08

 E qual é a explicação para esses insucessos?

Há circunstâncias várias. Você imagina que é uma questão que não pode ser respondida com meia dúzia de tretas. Como é que hei-de pôr o problema? Espinosa, designadamente na leitura que Deleuze faz dele, põe-se a questão de saber como é possível transformar um colectivo de humanos não num conjunto de escravos, mas numa assembleia de homens livres. Esse é o verdadeiro problema, que está inscrito na história humana e ao qual o marxismo procura decisivamente responder e tornar mesmo na teoria uma questão prática.

 

Manuel Gusmão em entrevista a Luís Miguel Queirós (Público, 27 de Junho de 2008). Escolhi o excerto acima pelos poucos dias que o separam do que escrevi aqui, mas recomenda-se a leitura integral.

escrito por José Carlos Cardoso às 05:02
sinais:

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
17
18
19

20
21
23
24
26

27
30
31


eu, imagem
seguir os sinais
 
blogs SAPO